Início / CKIB / Furusho (In Memorian)

Furusho (In Memorian)

Teruô Furushô…. Era o ano de 1903, chegava do Japão, no Navio “Santos Marú”, o casal de imigrantes, Sussumu Furushô e Hitsuiu Furushô, com sua filha Fumiko Furushô e uma irmã do pai, Harumi Furushô, que instalaram-se na cidade de Cafelândia, Região Noroeste de São Paulo, na Fazenda São Francisco , para o trabalho na lavoura, tendo se mudado posteriormente, para a cidade de Guaimbé, Bairro Panaí, onde a família começou a crescer, com o nascimento dos filhos, Wilson Furushô, Akiko Furushô, Yukiko Furushô, Paulo Furushô, Edí Furushô e quando chegou o ano de 1942, no dia 18 de Março, nesta honrosa família, chegava para a felicidade, dos seus e de todos nós, Teruô Furushô, cujo nome familiar seria “ Rui “, que cresceu e estudou naquele Distrito de Lins, convivendo com a Colônia Japonesa e seus costumes .

Durante sua vida na Colônia Japonesa, aprendeu Judô, e o seu primeiro contato com o Karatê, foi ainda na fazenda, em que morava, quando soube que na fazenda vizinha chegara um Japonês, que sabia Karatê, diziam que dava Saltos Mortais, quebrava Tábuas, etc…. ele e outros meninos ficaram curiosos, e foram ver o tal Japonês, que era nada mais nada menos, que o  grande mestre Iassutaka  Tanaka, que viera como Imigrante, para trabalhar como lavrador, naquela Região. Porém não houve contato com o mestre, pouco tempo depois houve a sua mudança, e respectiva família, para Guaimbé, e posteriormente para o Bairro da Liberdade, na Capital Paulista, onde começou trabalhar numa loja de móveis, de um certo Judeu, onde sua função era entregar os móveis nas casas dos compradores, carregando-os na cabeça, com outro companheiro. E neste vai – e – vem, já com Dezessete Anos, interessou-se pelo Karate, ingressou na Academia Zappí, da NKK, na Vila Prudente, onde as aulas eram Ministradas pelos Professores Juíchi Sagara, Iassutaka Tanaka, Tetsuma Higashino e Sadamu Uriú, onde conheceu o Grande Amigo Benedito Nelson Augusto dos Santos, futuramente o famoso “Mão de Ferro”, e também Sassaki, Mexicano, Dinor e Dimitri, que eram alunos graduados, naquela Academia.